h1

Negligência elegante

June 30, 2009

lytton

Esse aí é Edward Bulwer-Lytton (1803-1873), barão de Lytton, escritor e estadista britânico, um dos nomes mais importantes da moda masculina a partir do século 19, propagador do smoking e do preto como a cor, por exelência, da elegância masculina. Abaixo, um trecho de seu livro mais importante, “Pelham, or the Adventures of a Gentleman”, de 1828, em que o protagonista dá indicações a seu criado sobre sua aparência.

“Eu visto o casaco, o colete e calças pretos. Penteie os meus cabelos de maneira a desencaracolá-los o mais possível, e dê a meu tout ensamble um ar de elegante negligência.”

A seguir, Lytton fala sobre essa negligência elegante, que ele considerava fundamental a um cavalheiro e que ele incluía entre as “sete máximas” do vestuário masculino, descritas no livro:

“Para ganhar a afeição de sua amada, apareça negligente no vestir — para preservá-la, assíduo: o primeiro é um sinal de paixão de seu amor; o segundo, de seu respeito.”

O retrato acima, pintado por Henry William Pickersgill, está na National Portrait Gallery, em Londres.

6 comments

  1. a propósito, quem inventou o negligée?


    • Olha, beata, eu não entendo tanto da história da lingerie assim. Mas diz que a négligée (literalmente “negligente”), é meio que um nome genérico para vestimentas femininas usadas à noite, em casa, nos aposentos mais íntimos. Ela existe desde meados do século 18. Inicialmente, imitava os trajes formais de noite, só que com um caráter mais confortável e utilitário. Foi só a partir do final da Segunda Guerra que a négligée ganhou estilo próprio, se tornou uma peça de lingerie com carga erótica até, e, a partir dos anos 50, se popularizou na forma do babydoll (que nada mais é do que um tipo de négligée). Diferencia-se do peignoir, pois esse está mais para um roupão, embora mais leve, que pode ser inclusive usado sobre a négligée. Seu nome vem de “peigner” (pentear) e é possível que sua função fosse a de aparar cabelos caídos sobre a roupa durante o ato de se pentear.

      Mas, voltando à négligée, a primeira pessoa a sugerir ir pro baile ou aparecer na TV com um babydoll –de nylon– foi o cantor e guitarrista Robertinho do Recife, em 1983, na canção “Baby Doll de Nylon Combina com Você”… Agora, me diz, combina?


  2. parece com você


    • quem? o robertinho do recife?


  3. feliz aniversário! bj


  4. Olá…!! adorei este post… e queria saber mais da relação dos dândis com a vestimenta preta… o smokin etc… teria algum livro pra me indicar??
    Obrigada..



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: