h1

Diamantes e cuecas

July 20, 2008

Heidi Mortenson é uma compositora e cantora dinamarquesa que adora diamantes e cuecas. Não por acaso esse é o título de seu disco mais recente, lançado em vinil no começo do ano, numa edição numerada que traz três faixas de uma lado e um trabalho de gravação (de desenhos) e pintura do outro. “Diamantes representam o cúmulo da luxúria, roupas de baixo são o básico, algo que todo mundo usa, que é barato e confortável”, ela filosofa, num café de Kreuzberg, numa noite chuvosa do verão berlinense. “Acho que as duas coisas se equilibram”.

Em sua música, Heidi mistura loops de voz, pequenos trechinhos gravados de instrumentos, batidas de hip hop, beat-box –elementos comuns da música eletrônica (e que entraram até para o vocabulário do pop mainstream), mas que ela usa com um frescor incansável. “Acho que hoje o mainstream e a música independente estão se sebropondo. Há artistas que se denominam ‘underground’ só porque não são famosos. Esse nome não representa mais uma música radical”, diz Heidi, que se prepara para iniciar no segundo semestre um mestrado em música avançada na concorrida Real Academia de Música da Dinamarca.

“Não importa que elemento você use para fazer a sua música, eu só não gosto quando ela tem um som muito bem acabadinho, certinho”, explica a cantora, fã de Nina Simone e de música dos ano 50.

Em palco, Heidi vira uma mistura de rapper e skatista, de calça baixa na cintura e casaco de moletom, e comanda um set de efeitos e pedais de loop que ela dispara ao vivo enquanto canta e toca trompete, e brinca de ser gangasta, sexy, alegre e melancólica, em canções como “Stronger Than This”, “Don’t Lonely Me” e “I Just Know”. Sua postura não lembra em nada o autismo que às vezes marca apresentações de artistas da eletrônica. “Para meu próximo trabalho, quero usar uma banda de verdade e ver o que acontece”, conta sobre o disco novo, já em processo de gravação.

Antes de chegar para a entrevista, Heidi estava no estúdio, com o produtor Mocky, gravando uma participação num trabalho de Jamie Lidell, como crooner. “Esta é a terceira vez que gravamos a mesma música, eles ficam mudando de tom e eu tenho que voltar para recolocar a voz”, ela conta enquanto toma chá e come biscoitos “que têm gosto de Natal”.

Depois de 12 anos fora de seu país, oito passados em Barcelona, quatro em Berlim, Heidi volta para a Dinamarca no final do mês, para montar seu estúdio numa casa de praia. “Não sei bem como isso aconteceu. Eu sempre dizia que seria ótimo morar perto da praia. Uma amiga me falou que tinha visto um anúncio dessa casa. Fui ver e fechei. Foi a única que eu vi e deu tudo certo”, ela conta.

Assim que estiver instalada, Heidi pretende retomar um projeto de podcast que ela tem com a cantora americana Kevin Blechdom. “Eu também quero fazer experiências de gravar o som que o xixi faz ao cair sobre superfícies de diferentes materiais”, ela brinca, “isso vai ser divertido”.

Além de “Diamonds and Underwear”, Heidi Mortenson tem outros dois discos lançados, “Wired Stuff” (2006) e “Don’t Lonely Me” (2007), todos disponíveis em lojas online ou em seu site oficial. O YouTube e o site da cantora também trazem diversos clipes e vídeos de show, como o que está aqui abaixo. Clique aqui para ouvir (e comprar) discos da cantora.


One comment

  1. esse bog é muito up to date né? to adorando as noticias fresquinhas de berlim… parabens!



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: